Dubai (Episódio 2): zona histórica e dicas

Tempo de leitura: 6 minutos
Esta foi talvez a parte que mais gostei de partilhar do Dubai.
Quando pus as fotos no instagram, tive muita gente a dizer que não fazia ideia que houvesse outras animações para além da cidade construída em cima de um deserto que se vê nos postais e nas séries.
Ora que o Dubai foi uma enorme surpresa também para mim, graças também a uma guia incrível, brasileira, que nos mostrou que ali há muitos outros cenários a visitar. 
É um destino incrível para famílias porque há sempre para fazer e ver. Senão, há praias e piscinas, e parques temáticos, mas vou deixar isso para outro post.
Serve este “episódio” então para vos mostrar alguns monumentos e edifícios, o souk das especiarias, a zona mais antiga com presença portuguesa por causa da rota das especiarias e outros momentos ímpares da nossa viagem. 
Parte pior: não levei máquina para o deserto por isso vão ter de espreitar essa parte no meu instagram. Mas foi muito giro. Fomos de Jeep naquelas dunas gigantes, com a Madalena a amar, andámos de camelo, só uma voltinha de um minuto, jantámos e regressámos exaustos e felizes.
Espero que gostem e que vejam um outro lado do Dubai!
 
1. Dubai Frame
No Dubai tudo é sempre o maior do mundo. E se não é eles constroem. 
É a maior moldura do mundo com 150 metros de altura, é uma das estruturas mais recentes (aquilo parecem cogumelos a surgir) de entre os projetos extravagantes que o Dubai já nos habituou. 
Sobe-se de elevador e anda-se lá em cima por cima de vidro. Surreal. 
Aliás, isto para quem como eu tem medo de alturas é um enorme desafio. Mas aviso já. Subir lá 150 metros é mais suave que subir cá três em qualquer elevador. 
Saí de lá a sentir-me uma super heroína. 
Para além do vistão há uma exposição interativa de realidade aumentada com a história e o futuro da cidade.

2. Os Souk
Há o gold, com ouro e outros metais precisosos, o das especiarias, dos tecidos, das tecnologias, perfumes e tapetes… 
Óimo para trazer algumas sabores, aromas e memórias diferentes para casa. E não se esqueçam de comprar um lenço bonito para tapar ombros;). Nós trouxemos chá, umas especiarias diferentes e uma coisa que não sabemos como se chama, que desentope narizes tal qual canos entupidos, mas que agora temos medo de usar. lol 
Aqui os miúdos também provaram rebuçado e gelado de leite de camelo. 
O cheirinho do mercado é incrível e eles, já se sabe, são bons vendedores. Melgam um bocadinho mas respeitam se não quisermos. Eles gostam de negociar e é normal os preços baixarem até de30% a 50% durante as negociações, afinal nós somos portugueses. 
Para nós foi grande a diversão e em menos de 1 minuto vestiram os miúdos da cabeça aos pés. Tenho pena de não mostrar a viagem até ao mercado que foi feita de barco pelo Dubai Creek, e parece que estamos num filme.

 

 
 3. Hotel Burj Al Arab 
É considerado o único hotel 7 estrelas do mundo e dizem que é o melhor hotel do planeta. Óbvio que isto foi o mais perto que tivemos dele já que por noite custa no mínimo 1300€ e o mais incrível é que dizem que está sempre cheio. Foi construído em cima da sua própria ilha artificial a 280 metros da costa, tem 321 metros de altura, a suite mais pequena tem (só) 175 metros quadrados. 
O serviço de transfer do hotel é feito por BMWs, Rolls Royce e um helicóptero privado. E quem vem do aeroporto para lá nem trata de passaportes nem nada e faz o check in direto. 
 Coisa pouca portanto. 
Diz-se que foi inagurado por um Sheik que o reservou todo mas só ocupou três quartos.

 
4. Burj Khalifa
Óbvio que é o edifício mais alto do mundo. Tem 828 metros. Na sua construção participaram mais de 12.000 pessoas de 30 países.  Para perceberem bem o Empire State em  Nova York tem metade desta altura  (381 metros). A torre conta com 57 elevadores, pesa 500.000 toneladas e está coberta com 28.601 paineis de cristal.
Ate ao 148º andar (como é possível eu ter feito isto?) são 555 metros. Juro que não se sente nada. è incrível a vista. Cá fora há um espetáculo incrível no lago com jogos de luz e água. Emocionante.
Os bilhetes compram-se aqui.

 

Coisas que devem saber quando visitarem o Dubai:
 
É tudo uma questão de bom senso. já sabemos que estamos perante outra cultura e o Dubai, apesar de maioritariamente muçulmano, é bastante liberal. 
Não vi nada, nem senti nada que possa ser aqui escrito como preocupação. Famílias então super tranquilo. As crianças são super bem tratadas. Há filas e atenção especial para os mais novos. 
Agora esqueçam os decotes, as saias curtas ou justas, mas também acho que para correr atrás de crianças não dão jeito. 😉
Devem ter respeito pelas suas regras por exemplo se estão a amamentar. Deverão ser discretas, mas nada que um lenço não resolva. 
Já se vê muitos turistas mais despidos mas não são muito bem vistos. Depois é como em qualquer lado mais comum. O vestuário deve ser adequado ao local. Fato de banho ou biquini até na praia e piscina. Há multas ou prisão para quem se esquecer disto. 😉 Proibidos linguados públicos ao marido também. 😉
No Ramadão as regras são mais restritas e álcool só nos hotéis e é uma fortuna. 
Não se pode fotografar no aeroporto, polícias, palácios, etc… 
O fim de semana deles é à sexta e ao sábado, mas tenho a impressão que está tudo sempre aberto.
O Dubai é super seguro para estrangeiros, para mães ou mulheres sozinhas, ainda que não dê para fazermos tudo o que eles fazem, como conduzir. Mas acredito que de férias ninguém o queira fazer. )
O aeroporto é incrível e se voarem coma Emirates vão ficar maravilhados.
 
 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *