Se as manhãs são infernais, a culpa é minha.

Tempo de leitura: 3 minutos

É muito típico na nossa cultura sacudirmos o capote às nossas responsabilidades. Arranjamos desculpas e bodes expiatórios para se a coisa não correr como o esperado. Mas se correr bem, então é nosso mérito. 

Viver essa meia verdade começou a fazer-me confusão desde cedo e, muitas vezes, me cheguei à frente quando o erro ou não era totalmente minha culpa, ou era partilhado.
Talvez me tenha prejudicado algumas vezes mas essa responsabilidade fez-me crescer e ganhar estaleca. E, sobretudo, fez-me dormir de consciência tranquila. Ao fim do dia, talvez até tenha servido de lição a alguém.
Depois de ser mãe passei por uma fase em que me esqueci disso. Estava atrasada porque eles me atrasaram, não consegui porque eles não deixaram, não fiz porque eles me atrapalharam. 
Até que percebi que estava a cair naquele erro que tanto odiava ver.
As minhas manhãs são a maior prova do trazer até mim a responsabilidade depositada noutros. 
Se me atraso significa que tenho de acordar mais cedo que todos, que tenho de ter mais coisas preparadas de véspera, que os tenho de acordar mais cedo, que os devo ajudar a fazerem todas as tarefas a horas ou que, simplesmente, preciso de pôr um sorriso para mudar o ambiente.
Não lhes tirando responsabilidades, obviamente super importantes para desenvolverem autonomia própria, tenho de os ir orientando. Os mais velhos vestem-se sozinhos, dão comida e passeiam o cão, preparam as mochilas [taekwondo incluído], lavam dentes e penteiam-se…
Se eu não acordar mais cedo e me arranjar ao mesmo tempo sei que vão haver distrações. E ainda tenho a mais nova que é, obviamente, mais dependente de mim.
Por isso, para poder orientar tenho de estar livre das minhas tarefas. Para isso acontecer tenho de acordar mais cedo. Para acordar mais cedo tenho de me deitar mais cedo. E para me deitar mais cedo tenho de ser mais organizada.
Porque a Madalena leva almoço para a escola, é outro dos entraves a uma manhã calma se não fizer de véspera.
Se acharmos que os nossos dias não chegam para tanta coisa temos de fazer render o fim de semana e, por exemplo, cozinhar para a semana toda deixando-nos mais livres do dia-a-dia.
Há muitos truques que podemos implementar de forma a trazermos mais organização às nossas rotinas. Como pôr a mesa de pequeno almoço na véspera para proporcionarmos um começo maravilhoso à nossa família.
É isto que tenho aprendido nesta vida que anda tão a correr. Nem sempre funciona mas quando funciona é mágico. E aí percebemos que o controlo da nossa vida está em nós. Nós temos o controlo daquilo que é controlável na nossa vida e devemos aproveitar essa parte que é de conta certa. Já basta o incontrolável.

10 dicas para manhãs organizadas e todos a horas à porta de casa:
(Uma lista que recuperei e acrescentei de um post antigo)
1. Acordar mais cedo que eles (e pensar em coisas bonitas)
2. Preparar as coisas de véspera
3. Dar tarefas a cada um
4. Depois das tarefas individuais juntar tudo mesmo grupo para as tarefas coletivas como o pequeno-almoço, pentear e lavar os dentes
5. Pôr relógios nos filhos
6. Estabelecer uma hora limite para cada coisa e para a saída de casa
7. Usar os fins de semana para orientar os dias da semana
8. Planear refeições e roupas
10. Fazer um calendário semanal para cada um

3 thoughts on “Se as manhãs são infernais, a culpa é minha.

  • Bom dia Rita! Como eu precisava deste texto hoje!!!! Obrigada obrigada obrigada! Claro que a culpa é só nossa mas às vezes é tão mais fácil pensar que foi por causa delas que nos atrasámos…. quando o foco não está no sítio certo tudo começa a falhar. Obrigada pelo ajuste no foco 😉
    Amanhã será uma manhã melhor (e também vou tentar não trabalhar até tão tarde…..custa tanto levantar….e dificulta tudo a seguir)
    bjs

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *